Vigor x Germinação

Muitos se perguntam qual a diferença entre vigor e germinação e, quais serão os seus impactos nos lotes de sementes....

Pois bem, o vigor pode ser definido como o conjunto de propriedades que irão determinar o potencial de emergência e desenvolvimento de maneira rápida e uniforme das plantas sob condições adversas, ou seja, ele que irá determinar se a semente irá germinar ou não sob períodos desfavoráveis.

Dessa forma, as sementes podem ser classificadas em categorias de alto vigor e baixo vigor. Isso tem tudo a ver com a questão do armazenamento, pois sementes de alto vigor ao serem armazenadas lá no silo da cooperativa, vão permanecer viáveis até o momento que o produtor for lá pegar a semente para realizar o plantio.

O estabelecimento inicial também é responsabilidade do vigor, visto que as sementes mais vigorosas são aquelas que irão se estabelecer primeiro e vão garantir maior uniformidade de emergência, além da uniformidade de maturação e de colheita. Sendo assim, o vigor não só é responsável pela fase inicial das plantas, mas é ele quem determina muitos fatores durante o ciclo das culturas.

 Figura 1.Plântulas de soja de baixo e alto vigor respectivamente. Fonte: Stheffani Lucca dos Santos. 

Já a germinação é o processo de transformação da semente em uma nova planta, através do consumo de suas reservas. Sendo que, esse atributo é utilizado como indicativo do estabelecimento das plantas no campo, dessa forma quanto maior o seu percentual, melhor será a uniformidade e distribuição das plantas.

Por isso, as empresas adotam para a maioria das culturas o percentual mínimo de 80% de germinação, o que pode ser explicado de forma simples, que de cada 100 sementes 80 delas irão germinar e formar uma planta normal. Para a cultura do milho, esse percentual já é um pouco maior, de 85%, devido à tecnologia de colheita, que é realizada muito próximo ao ponto de maturidade fisiológica.

Com o conhecimento da importância desses dois fatores, temos a consciência de que as falhas que ocorrem na lavoura não serão compensadas pela maior ramificação das plantas de soja, e nem o uso de plantas duplas compensará o baixo teor de germinação do lote de sementes.

 
 
Colunistas

Stheffani Lucca dos Santos

Engenheira Agrônoma pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Fez parte do corpo de estagiários da Embrapa Soja, estagiando no laboratório de Fitopatologia setor de epidemiologia e controle. Atualmente é mestranda na área de produção vegetal pela Universidade tecnológica Federal do Paraná – campus Pato branco,...